Express

Por que bons funcionários pedem demissão?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Toda demissão costuma trazer custos relevantes para uma empresa. Pagamento de rescisão, treinamento de um novo colaborador e atraso de projetos em andamento são alguns dos gastos diretos que são gerados com um desligamento. 

 

Quando a demissão parte de uma solicitação de um bom funcionário a situação é ainda pior para a empresa. Um colaborador eficiente – que preza pela pontualidade, bom relacionamento e qualidade do trabalho – tem um valor inestimável para qualquer organização. Encontrar uma pessoa com perfil adequado para a posição pode levar tempo, o que impactará diretamente na produtividade da empresa. 

 

Nesse sentido, é necessário que o setor de Recursos Humanos junto aos gestores entendam os motivos que levaram ao pedido de desligamento. Quando essa situação ocorre, é fundamental a aplicação da entrevista de desligamento. Precisamos saber quais fatores geraram essa atitude, assim a organização vai conseguir evitar ao máximo novos pedidos de demissão.

 

5 motivos que levam ao pedido de demissão

 

Para evitar a saída de talentos de sua equipe, os gestores devem compreender qual é o papel da empresa no processo de retenção de bons profissionais. A supervisora de Recursos Humanos da Express Restaurantes Empresarias, Bianca Zanesi, listou alguns motivos que costumam pesar no desligamento dos funcionários:

 

1. A empresa conta com processos muito engessados:

 

Muitas organizações parecem estar paradas no tempo, sem nenhuma adaptação à realidade atual. Esse fator costuma incomodar profissionais antenados e competentes.

 

Políticas internas ultrapassadas e processos engessados devem ser revistos o quanto antes. Trazer flexibilidade para a gestão é fundamental para agregar valor à organização. 

 

2. O profissional está sobrecarregado.

 

No intuito de fazer mais com menos, algumas organizações sobrecarregam seus colaboradores com trabalho extra – especialmente os que se mostram mais eficientes. A estratégia pode até funcionar por um tempo, gerando mais produtividade para a empresa. Com o passar dos dias, porém, o bom funcionário começa a acreditar que está sendo penalizado por sua competência. É importante evitar que isso ocorra, com feedbacks constantes e alinhamento a respeito da sazonalidade de sobrecarga.

 

3. O clima organizacional não está bom: 

 

Atualmente passamos, no mínimo, 1/3 do nosso dia no trabalho. Os profissionais optam por trocar de ambiente quando não se sentem felizes.

 

Além de interferir diretamente na produtividade, o clima organizacional é um dos fatores ligados aos pedidos de desligamento. Gestores eficientes investem em iniciativas que trabalhem a mente positiva das suas equipes. 

 

4. A organização não abrange um plano de carreira:

 

A maioria dos profissionais comprometidos gosta de ter uma direção clara da expectativa da empresa. Nesse sentido, um plano de carreira é importante pois esse funcionário pode visualizar quais são os próximos passos dele dentro da organização, se atender os requisitos exigidos. 

 

Algumas empresas gastam muito tempo, energia e dinheiro para contratar pessoas qualificadas, mas esquecem de investir esforços na retenção desses profissionais. O papel da liderança é indicar com clareza quais são as opções de caminho que podem ser seguidos dentro da organização. 

 

5. Ineficiência do gestor:

 

Você já ouviu a máxima: "as pessoas pedem demissão de seus chefes, não das empresas"? Muitas vezes, os profissionais deixam o seu cargo por ineficiência dos gestores. 

 

Os líderes precisam estar dispostos a apoiar os seus funcionários para manter a equipe engajada e produtiva. A empresa deve buscar gestores que tenham uma preocupação genuína com sua equipe, pois esse é um dos principais motivos que levam os profissionais a serem comprometidos e leais aos seus líderes.

 

Como evitar a demissão de bons funcionários? 

 

Após entender as principais razões que fazem bons funcionários pedirem demissão, é chegada a hora de aplicar estratégias para evitar esse cenário. Algumas medidas simples podem ser altamente eficientes. Confira orientações elaboradas com o apoio da supervisora de Recursos Humanos da Express Restaurantes Empresarias, Bianca Zanesi, para reter talentos nas empresas. 

 

* Priorize o diálogo entre gestores e colaboradores: 

 

Conflitos e divergências no ambiente e com colegas de trabalho são esperados: as pessoas são diferentes umas e das outras e, por isso, apresentam visões distintas das mesmas situações. O que não pode ser normalizado é a falta de diálogo. 

 

Os líderes devem ser transparentes, buscando sempre ouvir seus profissionais. Os bons funcionários costumam ser responsáveis por muitas tarefas e os líderes acabam "esquecendo" de acioná-los para conversas e feedbacks, o que é um erro. 

 

Ao dar atenção para os colaboradores, as equipes se sentem à vontade para propor melhorias e para sugerir novas metodologias de trabalho. Tudo isso interfere diretamente na motivação e na produtividade. Ouvir genuinamente os funcionários é umas das práticas de gestão mais cruciais para a retenção de talentos.

 

* Reconheça as conquistas: 

 

Praticamente todas as pessoas esperam ser reconhecidas quando desempenham uma tarefa de forma adequada. Isso vale tanto para o âmbito profissional, quanto para o pessoal.

 

Uma rotina repleta de demandas e trabalho, sem qualquer reconhecimento, pode desmotivar o funcionário. Um bom gestor deve elogiar os esforços de sua equipe, incentivando e bonificando as atitudes exemplares. 

 

A falta de reconhecimento profissional afeta a motivação de todos e pode ser crucial para esmaecer a imagem da empresa. Celebre as conquistas da sua marca e deixe claro que os resultados só foram possíveis em função da dedicação da equipe. O reconhecimento costuma ser uma injeção de ânimo, ou seja, motiva os funcionários a se dedicarem ainda mais.

 

* Invista no aprendizado e desenvolvimento: 

 

Foi-se o tempo em que os colaboradores davam importância apenas para os salários que a empresa paga no final do mês. Mais do que nunca, as pessoas estão valorizando o aprendizado e o desenvolvimento pessoal – especialmente com a chegada das novas gerações ao mercado de trabalho. 

 

Os gestores devem oferecer cursos e palestras à suas equipes, além de treinamentos que fortaleçam seus pontos fortes. Vale também ajudar com a faculdade, da especialização ou do mestrado. É pouco provável que o profissional deixe de valorizar a empresa que investiu em seu desenvolvimento pessoal. 

 

* Deixe claro o propósito da empresa: 

 

Os colaboradores costumam se sentir desmotivados quando não conseguem enxergar sentido na função que exercem. Para evitar que isso aconteça, a empresa precisa sempre oferecer uma visão do cenário todo para suas equipes. 

 

Em encontros frequentes, os gestores devem apresentar os objetivos da organização e os impactos positivos da marca no mercado e na comunidade como um todo. É necessário ter um propósito bem definido para se manter por muito tempo em um emprego e o papel da empresa é deixar essa questão clara a todos.  

Continue lendo

Síndrome de Burnout e o esgotamento profissional: De que forma o setor de RH pode agir?

Fortemente relacionado com o estresse do cotidiano de trabalho, Burnout requer atenção por parte dos Recursos Humanos Cumprimento de metas.…

Segurança do Trabalho em Restaurantes Industriais: como manter o ambiente mais protegido?

A Segurança do Trabalho em Restaurantes Industriais é um tema que está em constante atualização e sempre em pauta. Veja…

A inclusão de pessoas com deficiência na Express Restaurantes

Apesar dos progressos observados nos últimos anos quando o assunto é a inclusão de pessoas com deficiência (PCDs), ainda há…