Express

O Tempero da Comida Sempre nos Remete ao Sabor da Lembrança

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Quem não gosta de uma comida bem saborosa?

O tempero é o amor no preparo de um prato, muda completamente o sabor e garante diversidade na cozinha. A busca constante pelo sabor, promoveu grandes navegações, marcando importantes momentos da história.

Os egípcios usavam cominho e anis em 3.500a.C. para temperar comidas e embalsamar mortos. Em 2.000a.C. a pimenta em grão representava um grande negócio entre a Índia e o Oriente Médio. A China, importava enormes quantidades de cravo no século II a.C. E até na Bíblia elas são citadas, na história da viagem da Rainha de Sabá até a Etiópia onde foi acompanhada por diversos camelos carregados de especiarias.

Os povos árabes também desempenharam um enorme papel na história destes temperos, controlando a comercialização por 5.000 anos e eventualmente exportando-os para a Europa. Os europeus ficaram tão apaixonados pelos novos sabores do Oriente que, alguns séculos depois, na tentativa de achar a nascente das especiarias, acabaram descobrindo a América e assim novos temperos.

Os temperos além de realçarem o sabor dos alimentos, ainda conferem um aroma especial aos pratos, o que faz a diferença para o sucesso das receitas. Porém, é necessário fazer a escolha certa sem ter receio de combinar, evitando as versões industrializadas, as quais são as queridinhas pela praticidade e grande diversidade. O problema é que toda essa praticidade pode custar caro, especialmente a longo prazo. O consumo desenfreado desses produtos representa uma ameaça à saúde, pois, devido às quantidades excessivas de conservantes, sódio e outros aditivos, eles podem aumentar os riscos para o desenvolvimento de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT); sendo as mais populares: Hipertensão, Diabetes, Obesidade, Problemas Cardiovasculares e Câncer.

Se observarmos os rótulos desses produtos com mais atenção, veremos que muitos deles podem ser, na verdade, uma bomba para a saúde. Isso porque, além do excesso de sódio, eles são carregados com outras substâncias químicas prejudiciais, conforme exemplo as informações nutricionais e lista de ingredientes do caldo de galinha abaixo ilustradas.

Sobre o sódio a Organização Mundial da Saúde (OMS), nos apresenta um consumo elevado na população brasileira em relação ao recomendado, conforme evidenciado na gravura.

Preconiza-se não ultrapassar 2.400 miligramas/dia, pois é altamente absorvida pelo organismo proporcionando inúmeros riscos a saúde, descritos no quadro abaixo.

Fique ligado!

A composição de sódio em um tablete ou 1 colher (chá) desses temperos varia de 0,9g até 1,7g de sódio por porção. Isso significa no mínimo 45 a 85% da quantidade de sal indicada para um dia inteiro, pois o limite é de 2g de sódio por dia ou 5g de sal (cloreto de sódio).

Seguido do principal vilão, vem as gorduras trans, as quais são prejudiciais tanto quanto o Sódio e são conhecidas como óleo hidrogenado, ou seja; resultado do processo de transformação do óleo vegetal para a gordura sólida. Favorecendo o processo inflamatório do organismo e aumentam o colesterol ruim.

Além do sódio e das gorduras trans, muitos outros aditivos são encontrados na formulação dos alimentos industrializados, como exemplo temos os mais comuns: glutamato monossódico (realçador de sabor), o qual contribui para o ganho de peso pois estimula a ingestão excessiva e afeta as células, principalmente do sistema nervoso e glucose de milho, utilizada para transformar a textura dos alimentos e por ser um carboidrato simples se torna disponíveis na corrente sanguínea rapidamente, gerando um pico de insulina e dificultando o controle de peso.

Como unir saúde e sabor as preparações?

Para atingir este objetivo, temos ao alcance os temperos naturais. Mas quando pensamos, os primeiros produtos que vêm a cabeça sempre são os mesmos, alho, cebola, salsinha, cebolinha verde. Porém, são muitas as opções de temperos naturais que podem ser utilizadas em nossa comida, cada qual com sua origem, finalidade(s) e particularidade(s).

Entenda os Tipos de Temperos Naturais Para Fazer Bonito Cozinhando

Estas preciosidades são classificadas em três tipos: ervas, especiarias e legumes aromáticos. Sendo estes definidos, como:

  • Ervas: flores e folhas como louro, tomilho, manjericão e alecrim.
  • Especiarias: grãos e sementes como noz moscada, mostarda, canela e anis.
  • Legumes aromáticos: caules, tubérculos e raízes como cebola, alho poró, pimenta e páprica.

Os temperos frescos possuem óleos próprios que ressaltam os aromas e ainda são repletos de nutrientes. Na hora de comprar, procure sempre os mais cheirosos e verdinhos. Assim, você não vai errar.

Já os temperos desidratados possuem sabor e aroma ainda mais intensos devido a perda da água natural durante o processo de secagem; por isso, devem ser usados com mais cautela para que não predomine no prato. Não existe uma regra exata de como usá-los, depende muito do gosto e do paladar de cada um.

Mas para te ajudar a garantir o melhor resultado na hora de preparar aquela refeição especial, destacamos alguns temperos e suas principais características. Confere aí:

  • Cebola – A raiz mais versátil. Tempero básico que combina com diversos tipos de alimentos. Perfeita para dar gosto nos clássicos arroz e feijão ou marinar uma carne especial. O cheiro da cebola refogada no azeite é um dos melhores aromas de uma cozinha. Hum, imagine o cheirinho. Além disso, é anti-inflamatória e cheia de minerais que ajudam na circulação sanguínea.
  • Pimenta – Há vários tipos como dedo de moça, biquinho, malagueta e do reino. São excelentes para sopas, saladas e petiscos. Além do sabor, ela também possui efeito termogênico e afrodisíaco.
  • Noz Moscada – Incrível em molhos brancos e risotos. Ela também vai bem em preparos doces como cappuccino, tortas e pudins. A dica é sempre escolher a noz e raspá-la no momento do preparo, uma vez que na versão em pó as propriedades e aromas se perdem. Esse tempero também é antibacteriano e faz bem para o coração.
  • Cebola – A raiz mais versátil. Tempero básico que combina com diversos tipos de alimentos. Perfeita para dar gosto nos clássicos arroz e feijão ou marinar uma carne especial. O cheiro da cebola refogada no azeite é um dos melhores aromas de uma cozinha. Hum, imagine o cheirinho. Além disso, é anti-inflamatória e cheia de minerais que ajudam na circulação sanguínea.
  • Pimenta – Há vários tipos como dedo de moça, biquinho, malagueta e do reino. São excelentes para sopas, saladas e petiscos. Além do sabor, ela também possui efeito termogênico e afrodisíaco.
  • Noz Moscada – Incrível em molhos brancos e risotos. Ela também vai bem em preparos doces como cappuccino, tortas e pudins. A dica é sempre escolher a noz e raspá-la no momento do preparo, uma vez que na versão em pó as propriedades e aromas se perdem. Esse tempero também é antibacteriano e faz bem para o coração.
  • Louro – Coringa na cozinha. Tem sabor e aroma persistentes e atua bem no preparo do feijão e das mais diversas carnes. E também pode ser utilizado em chás para tratar problemas digestivos, além de ser ótimo para o alívio do estresse e da ansiedade, devido as propriedades analgésicas.
  • Alecrim – Clássico na batata rústica assada, mas este tempero perfumado também pode marinar carnes e peixes ou ainda aromatizar azeites. Também benéfico a saúde, auxilia na digestão e circulação dos vasos sanguíneos.
  • Estragão – Não muito conhecido, mas é dono de um pouco de picância e amargor, é essencial no molho béarnaise, um símbolo francês. Dá para colocá–lo em outros molhos, no picles ou salpicado em saladas verdes. Conhecido como um importante antioxidante e inibidor de bactérias.

Vamos lá, deixe a preguiça de lado; construa sua própria hortinha ou compre no comércio as opções naturais que mais lhe agradar. Uma dica, para ter sua hortinha não é necessário ter grande espaço, ela pode ser elaborada até em pequenos vasos de flores.
Além do tempero in natura, podemos preparar um mix de temperos naturais que irão agregar ainda mais sabor. A seguir deixamos algumas receitinhas para você preparar em casa e usar naquele prato especial, todos vão se deliciar.

Caldo de Legumes Caseiro:

Acresça 2 litros de água em um recipiente, depois coloque folhas de alho-poró, cenoura, folhas de cenoura, alho, cebola, salsão, tomate e deixe cozinhar lentamente. Esse caldo é a versão mais saudável dos tabletes industriais e pode ser facilmente armazenado em formas de gelo para ser usado até acabar. Além de facilitar na hora de cozinhar, ele ainda tem uma capacidade maior de preservação dos nutrientes e uma durabilidade longa quando armazenado no freezer. A quantidade de cada ingrediente é agosto e não esqueça que somente o caldo é preservado, com os legumes aproveite e prepare aquela sopa deliciosa.

Sal de Ervas:

Escolha o tipo de sal a ser usado, pode ser o sal refinado, o sal grosso ou, até mesmo, o sal rosa. A escolha das especiarias depende do gosto de cada um, como: orégano, alecrim, folhas de louro, tomilho, pimentas e outros. Basta misturar e bater no processador ou liquidificador.

A quantidade a ser preparada deve ser pequena, para consumo imediato; a fim de o produto não perder qualidade e acarretar riscos a sua saúde.

Para potencializar a saudabilidade das refeições, vale a pena investir nas panelas de cerâmica. Afinal, elas não alteram as propriedades dos alimentos e são totalmente atóxicas.

Lembre-se, ao cozinhar ter equilíbrio na mistura dos ingredientes, é fundamental.

Agora é mão na massa, escolher os temperos e preparar aquela comidinha saborosa. Hum, me deu água na boca só de escrever o texto.

Continue lendo

Já se Perguntou Como Está a Sua Imunidade?

"Você deve estar com a imunidade baixa!" Quem nunca escutou essa frase? Vinda de um amigo, da mãe ou até…

Tarefas domésticas, como organizar a cozinha e produtos alimentícios em sua casa?

Segurança alimentar vai muito além das refeições dos restaurantes, está diariamente em nossas casas, por isso, fique ligado nas dicas…

Memórias de afeto são os verdadeiros ingredientes secretos quando o assunto é tempero de mãe.

Conhece aquela velha história de que a comida da mãe é sempre a mais gostosa?