Vale-refeição ou restaurante empresarial?

30/12/2019

A alimentação dos funcionários é um tema essencial para qualquer empresa. Pesquisas e estudos comprovam que a qualidade e a quantidade de refeições interferem diretamente na produtividade dos colaboradores. Na hora dos gestores decidirem a forma ideal de tratar esse tema, porém, normalmente surge a dúvida: a melhor opção é disponibilizar um restaurante ou oferecer o vale refeição?

 

Antes de qualquer coisa, é essencial que as empresas conheçam a legislação e os acordos sobre esse tema. Diferentemente de outros tipos de benefícios como vale-transporte, o vale-alimentação não é uma obrigação legal do empregador. Por outro lado, o fornecimento de refeições muitas vezes está atrelado à convenção coletiva da categoria, o que o torna um dever. Algumas empresas também optam pelo auxílio na alimentação como um benefício complementar.

 

Quanto ao espaço disponível para as refeições, também existem diferenças. Empresas com mais de 300 colaboradores, por exemplo, são obrigadas a manter um refeitório no local de trabalho. Diante de tantas variações, portanto, é imprescindível que cada empresa consulte seu jurídico e seu setor contábil antes de “bater o martelo” sobre qualquer decisão dentro dessa temática.

 

Depois de realizar essa consulta interna sobre os deveres do empreendimento, é chegada a hora de definir entre um restaurante empresarial e o fornecimento de um vale-refeição. A melhor decisão nesse caso é calcular os gastos com cautela e analisar os diferenciais das duas alternativas. Não existe uma resposta padrão para todos os empreendimentos, já que cada negócio tem suas particularidades. Para ajudar nessa escolha, separamos as vantagens das duas opções

 

Vantagens de fornecer um vale-refeição

 

A liberdade de escolha é possivelmente a principal vantagem que o vale refeição pode oferecer. Com ele, o funcionário pode escolher em qual estabelecimento vai realizar a sua refeição. Esse diferencial é interessante especialmente quando a empresa está localizada em um centro urbano com várias opções de alimentação. Quando o empreendimento está mais distante de estabelecimentos comerciais, é possível que o colaborador não encontre alternativas interessantes nas redondezas.

 

Outra utilidade do vale-refeição é que ele normalmente é aceito em estabelecimentos que não são necessariamente restaurantes, como padarias e supermercados. Esse fator pode ser utilizado para o colaborador contribuir nas compras de casa, por exemplo. Para isso, porém, o funcionário teria que abrir mão de uma refeição adequada durante o expediente, o que pode comprometer sua produtividade.

 

Vantagens de contar com um restaurante empresarial

 

Um dos principais benefícios oferecidos pelo restaurante empresarial é o bem-estar dos funcionários. Com a alimentação sendo realizada nas imediações do empreendimento, os colaboradores não precisam ir para outros lugares, o que evita perda de tempo em deslocamentos e diminui o risco de acidentes de trajeto. A medida também promove uma maior interação entre os funcionários, aumentando a união e o espírito de equipe das pessoas.

 

A qualidade da alimentação é outro fator relevante. Muitos colaboradores acabam consumindo apenas lanches ou refeições com baixo teor nutritivo durante o expediente. Com um refeitório próprio, é possível até mesmo contar com uma equipe terceirizada para gerir o restaurante. Empresas focadas nesse segmento abrangem cardápios elaborados por especialistas em alimentação, o que garante uma tabela nutricional mais adequada e voltada para a produtividade. Contar com uma empresa terceirizada também evita que gestores e profissionais do setor de Recursos Humanos (RH) tenham que disponibilizar um bom tempo para resolver questões ligadas à alimentação.