Outubro Rosa: conheça uma linda história de superação

08/10/2020

A doença representa cerca de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino

 

Conhecido por ser um movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, o Outubro Rosa foi criado oficialmente na década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. Na época, a organização distribuiu laços da cor rosa para os participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova Iorque. O símbolo passou a representar o movimento no mundo todo.

 

O Outubro Rosa tem como principal objetivo compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença, proporcionando assim um maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento. No Brasil, conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de mama é o segundo tipo que mais acomete as brasileiras, ficando atrás apenas do câncer de pele.

 

Em 2019, foram estimados 59.700 casos novos de câncer de mama no Brasil, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres. A doença representa em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino.

 

Causas e sintomas da doença

Conforme o Inca, os principais sinais e sintomas do câncer de mama são: caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja, alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas).

 

Não existe uma causa única para o câncer de mama. Diversos agentes podem estar relacionados ao desenvolvimento da doença entre as mulheres, aponta o Inca. Confira alguns fatores de risco: envelhecimento (quanto mais idade, maior o risco de ter a doença), fatores relacionados à vida reprodutiva da mulher (idade da primeira menstruação, ter tido ou não filhos, ter ou não amamentado, idade em que entrou na menopausa), histórico familiar de câncer de mama, consumo de álcool, excesso de peso, atividade física insuficiente e exposição à radiação ionizante.

 

Prevenção e diagnóstico precoce são essenciais

A prática de atividade física e de alimentação saudável, bem como a manutenção do peso corporal adequado, estão associadas a menor risco de desenvolver câncer de mama. Estima-se que cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados quando são adotados esses hábitos, informa dados do Inca. A amamentação também é considerada um fator protetor.

 

Outro ponto fundamental é o diagnóstico precoce. As mulheres devem estar a alerta a qualquer alteração suspeita nas mamas. Além disso, gestores e profissionais de saúde também precisam estar conscientes sobre a importância do rápido encaminhamento para a investigação diagnóstica de casos suspeitos e início do tratamento adequado - quando confirmado o diagnóstico.

 

 

Nilda enfrentou o câncer com otimismo e fé

A incidência do câncer de mama infelizmente é tão frequente que praticamente todas as pessoas conhecem alguém que tenha enfrentado a doença – seja na família, na empresa, ou na vizinhança. Na Express Restaurantes Empresariais, um caso de superação e força pôde ser acompanhado nos últimos meses.

 

A auxiliar de cozinha Nilda Pereira de Macedo, 50 anos, descobriu um caroço na mama realizando um autoexame em 2019, durante o banho. Ao mexer no nódulo, ela sentiu uma dor fraca. Nilda então foi até um postinho de saúde, fez exames de diagnóstico e constatou o câncer.

 

De lá para cá, foram seis sessões de quimioterapia e outras 29 de radioterapia. O tratamento completo durou seis meses, mas agora Nilda já venceu oficialmente essa batalha.

 

“O que eu digo para todo mundo é que não se pode desanimar. Quando conheço alguém que está passando por um problema semelhante, eu digo: vai passar, siga forte que vai passar”, conta.

 

Nilda trabalha na Express desde fevereiro de 2020, quando já tinha descoberto a doença. Agora a auxiliar de cozinha realiza exames periódicos para acompanhar a recuperação do seu organismo.

 

“A Nilda é muito otimista. Ela é muito comprometida com o trabalho. É uma pessoa que pensa para frente e nos ensina sempre. Quando alguém reclama, ela sempre fala: ‘existem tantas coisas que as pessoas passam e conseguem superar. Você também vai’. Ela tem esse lado confiante. É uma pessoa que nunca está para baixo”, conta a supervisora Cristiane Colar Schoenardie.

 

Campanha Outubro Rosa nas empresas

As empresas têm um papel fundamental na Campanha Outubro Rosa. As pessoas passam boa parte do seu dia nas organizações, então a lembrança da prevenção precisa vir de todos os lados. Até mesmo em tempos de pandemia, quando algumas empresas ainda adotam home office, é possível engajar os funcionários nessa causa. Confira três ideias para o Outubro Rosa na empresa:

 

* Evento interno: Uma palestra é sempre uma excelente sugestão para promover alguma ação entre os colaboradores. Em tempos de pandemia, o evento pode até mesmo ser online, com as equipes acompanhando tudo de casa. Convide um ou mais profissionais para palestrar sobre o tema. Pode ser uma médica que ensine a realizar o autoexame ou até mesmo uma pessoa que tenha passado pela doença. Vale também chamar algum especialista que fale sobre qualidade de vida, visto que o estresse é um problema que pode baixar a imunidade das pessoas.

 

* Ação social: Além da prevenção, a empresa também pode se envolver em causas sociais ligadas ao tema. É possível arrecadar dinheiro para instituições ou então para a compra de lenços. Quem tem o cabelo longo também pode se sentir à vontade para fazer uma doação voltada à confecção de perucas.

 

* Campanha permanente: Outubro é o mês em que a conscientização ganha mais força, mas as empresas responsáveis sabem que o assunto precisa ser tratado permanentemente. A organização pode emitir alertas durante o ano para lembrar as colaboradoras sobre o autoexame. Também é preciso estimular as funcionárias a realizarem os exames de prevenção, deixando claro que a empresa se preocupa com a sua saúde e bem-estar.