Ansiedade no trabalho: como enfrentar o mal do século

08/06/2020

A competitividade cada vez mais acirrada no mundo corporativo tem elevado os níveis de ansiedade no Brasil. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que sofremos uma verdadeira epidemia dessa doença: já são 18,6 milhões de brasileiros (9,3% da população) que convivem com o transtorno. Com base nesse dado, pode-se dizer que o Brasil é o país que registra o maior número de pessoas ansiosas do mundo.

 

A ansiedade no ambiente de trabalho interfere diretamente no sucesso profissional das pessoas. Quase sempre, ela também impacta na relação com colegas, gestores, amigos e familiares.

 

Confira a seguir os sintomas de ansiedade no trabalho e como é possível adotar comportamento para controlar essa situação.

 

Como a ansiedade pode atrapalhar no trabalho?

 

Antes de mais nada, é essencial destacar que a ansiedade é considerada um sentimento comum até certo ponto. Em níveis normais, ela até mesmo nos prepara para decisões importantes e nos deixa em alerta para situações de risco.

 

O problema é quando a ansiedade passa do limite e gera problemas de saúde sérios causados pela falta de qualidade de vida no trabalho. Se uma pessoa chega a pensar: "não consigo trabalhar por causa da ansiedade", certamente ela não está passando por uma situação saudável.

 

No ambiente corporativo, a ansiedade pode ter várias causas. As mais comuns são algumas condições de trabalho: prazos apertados, preocupação demasiada, excesso de responsabilidade, sobrecarga de tarefas, falta reconhecimento e busca incessante por resultados.

Cada um desses fatores pode contribuir para o surgimento do transtorno que, com o passar do tempo, afeta o rendimento profissional, o bem estar e a qualidade de vida da pessoa. 

 

Uma dica importante é estar atento a alguns sintomas que podem aparecer como consequência de um quadro intenso ou uma crise de ansiedade. São eles: mal-estar, tonturas, formigamentos, falta de ar, diminuição da imunidade, crescimento do acúmulo de gordura, aumento da frequência cardíaca, boca seca, náusea, tremores, resfriamento nas extremidades, suor excessivo e sensação de fraqueza.

 

Se alguns desses sintomas surgirem de maneira simultânea e acentuada, procurar ajuda profissional é altamente indicado.

 

Como lidar com a ansiedade no trabalho?

 

Normalmente relacionada ao estilo de vida das pessoas, a ansiedade é um assunto que exige extrema atenção. As empresas, gestores e principalmente o setor de gestão de pessoas devem adotar medidas para precaver esse problema, mas isso não elimina a responsabilidade individual dos colaboradores no processo.

 

Quer saber como modificar a rotina para ajudar a controlar a ansiedade e reduzir o estresse?

Confira abaixo sete dicas!

 

1.     Identifique a sua fonte de estresse

 

O primeiro passo para controlar a ansiedade é tentar descobrir o que está causando esse sentimento. Olhe de perto para seus hábitos e atitudes. Evite pensamentos negativos.

Coloque uma lupa nos seus comportamentos. Muitas vezes, mesmo sem querer, você pode estar ignorando condutas ou sentimentos que são gatilhos para estresse e ansiedade.

 

2.     Defina prioridades

 

Você é do tipo que volta e meia fica perdido em meio a inúmeras atividades? Quando as prioridades não estão bem definidas, muita coisa acaba ficando para a última hora, o que potencializa a ansiedade.

A orientação de ouro é que você pode fazer uma lista para organizar as suas tarefas em uma ordem que faça sentido.

Assim, você alivia o estresse e aumenta a produtividade e o controle sobre a sua rotina.

Vale também estimar qual é o tempo necessário para cada atividade - dessa forma, não coloca na sua agenda um número de compromissos maior do que é possível de ser realizado.

 

3.     Respire e faça pausas

 

Mesmo que o dia esteja cheio, repleto de atividades, você precisa fazer algumas pausas. Separe alguns minutos para esticar as pernas, tomar um café e dar um tempo para os seus pensamentos.

A respiração também é fundamental. 

Sentiu uma tensão no meio do dia? Para aliviar essa sensação, sente-se confortavelmente, feche os olhos - se puder, inspire por cinco segundos e expire pelo nariz contando até dez. Repita cinco vezes! Essa técnica simples vai ajudar você a restaurar o equilíbrio.

 

4.     Mantenha seu ambiente organizado

 

Como é sua mesa de trabalho? Cheia de papéis, relatórios e pastas? Certamente a bagunça não ajuda em nada a ansiedade! Organize seu ambiente de trabalho de um modo que você encontre tudo o que precisa no dia a dia.

Se a sua empresa permitir, decore sua mesa ou sua sala com itens que te faça se sentir bem, como fotos da família e símbolos religiosos.

Vale também recados de amigos, incensos ou objetos divertidos de escritório. Isso pode parecer algo pequeno, mas normalmente gera uma sensação de tranquilidade e acolhimento.

 

5.     Decida rápido sempre que possível

 

Quando o estresse se torna crônico, as pessoas tendem a ter mais dificuldade de tomar decisões. Sempre que possível, tente resolver os problemas o mais rápido possível. Não demora uma hora para decidir algo pequeno: apenas decida.

Por outro lado, tenha cuidado para não confundir essa técnica com impulsividade. Algumas situações demandam, sim, muita reflexão antes da decisão. Mas evite procrastinação: não é porque o prazo final está longe que você não pode resolver a questão agora e eliminar a ansiedade futura.

 

6.     Cultive bons hábitos

 

É possível aumentar sua resistência ao estresse cuidando da sua saúde. Lembre-se de adquirir bons hábitos! Faça refeições balanceadas e nutritivas, mastigando lentamente. Evite fazer outras coisas nesse momento: reserve um tempinho para se alimentar em paz.

Praticar um exercício físico também é muito importante. Escolha uma atividade que te agrada e exerça ela pelo menos três vezes por semana. O exercício físico é capaz de diminuir o estresse e os níveis de ansiedade.

Não esqueça ainda de dormir o suficiente para se sentir descansado para enfrentar a rotina.

 

7.     Não tente controlar o incontrolável

 

Dar conta dos nossos próprios problemas já não é uma tarefa simples. Imagina então querer resolver as questões de outras pessoas!

Muitas coisas estão além do nosso controle. Entenda que o comportamento das outras pessoas não é algo que depende de você.

Ao invés de reclamar ou tentar mudá-las, foque sua atenção no que você pode controlar: seus hábitos, suas rotinas e sua maneira de reagir aos problemas. O estresse certamente será minimizado dessa forma.