Análise de custos: o que sua empresa deve avaliar?

24/08/2020

Quais gastos priorizar para redução de custos da sua empresa?

 

As incertezas econômicas e sociais trazidas pelo cenário de pandemia estão exigindo mudanças de comportamento. Nas casas, as famílias tentam se adaptar à rotina enquanto fazem malabarismos para deixarem as contas em dia. Nas empresas, não é diferente. Para conseguirem se manter no mercado, cada vez mais gestores e diretores se debruçam sobre planilhas de gestão de custos, à procura de gastos desnecessários.

 

A análise de custos é uma medida importante em qualquer período, seja ele de crise ou de crescimento nos negócios. Nos momentos em que os lucros despencam, claro, a prática se torna ainda mais essencial. Mas vale destacar que, embora os cortes de custos e despesas sejam importantes, eles precisam ser realizados com base em cálculos e planejamento para que nenhum serviço ou produto fundamental tenha sua qualidade afetada.

 

Quais custos precisam ser revistos nesse momento?

 

A revisão dos gastos é uma necessidade em comum para todos empresas, sejam elas grandes ou pequenas. Mas nesse cenário de incertezas, quais custos devem ser analisados?

“A resposta para essa pergunta é: todos! Esse é o momento de parar e analisar cada um dos gastos que a empresa tem e verificar se eles realmente são necessários. É a hora também de observar se estamos tendo o melhor desempenho que podemos com cada custo”, ensina o gerente de Relacionamento com Cliente e Mercado da Express Restaurantes Empresariais, Ronaldo Lasek.

Apesar de todos os custos precisarem ser revistos, alguns devem ganhar prioridade na análise. Nesse caso, sugere Lasek, a preferência deve ser para as grandes contas. “Quando a gente fala em empresa, a mão de obra normalmente é o principal gasto, mas esse item é também um investimento, porque a empresa não funciona sem os colaboradores.''

Ronaldo também explica que ''os grandes custos normalmente envolvem gastos que a empresa pode terceirizar, como transporte, plano de saúde e alimentação. Essas costumam ser as principais contas do setor administrativo. No caso de indústrias, existem também os insumos, como ferro e aço. Todos esses gastos maiores precisam ser negociados”.

 

Parceria entre profissionais de RH e Compras é essencial

 

Na hora da análise de custos de uma empresa é fundamental que os setores de Recursos Humanos e Compras se aliem para a definição da melhor estratégia para todos. Muitas contas que impactam na saúde financeira da empresa são gerenciadas de certa forma pelo RH, como é o caso de tópicos como terceirização de serviços, que envolvem alimentação e transporte das equipes, por exemplo.

Nesse caso, os profissionais de Compras devem assessorar as possíveis negociações. É essencial que ambos os setores se comuniquem de forma adequada, implantando estratégias assertivas. O objetivo é tomar a melhor decisão para o caixa da empresa sem deixar de priorizar o bem-estar e a segurança das equipes nas relações de trabalho.

 

Dicas para redução de custos da empresa

 

Além de aproximar os setores de RH e Compras, as empresas devem apostar em estratégias adicionais para conseguirem uma redução de custos. Veja a seguir três dicas nesse aspecto: 

 

1) Renegocie tudo o que puder

 

Tantos nos custos fixos, quanto nos custos variáveis, a palavra-chave é sempre a negociação. Quando existe uma crise geral, todas empresas sabem que o momento é de adequação. Uma boa negociação pode fazer a diferença.

 

Converse com seus parceiros e analise o que pode ser renegociado ou cortado. Ligue para todos os seus fornecedores. Negociar é uma maneira de chegar a um acordo viável para ambas as partes. 

 

2) Busque fornecedores com preços mais acessíveis

 

Quando foi a última vez que a sua empresa fez cotações com novos lugares? O mercado é dinâmico e novas possibilidades surgem a todo momento.

 

Mesmo quando não existe crise, o indicado é sempre manter as cotações atualizadas para se ter uma ideia dos valores que estão sendo colocados em prática. Busque novos orçamentos e analise novas possibilidades de prestadores de serviço.

 

3) Separe os gastos essenciais dos não essenciais

 

Um erro comum na hora de revisar os gastos é tentar cortar o mesmo percentual de verba de todos as áreas da empresa. Alguns segmentos não são essenciais e devem ter uma redução maior do que outros.

Por exemplo: se uma empresa optou pelo home office do setor administrativo durante a pandemia, é bem provável que os gastos com custos indiretos, como materiais de escritório, possam cair bruscamente. Nesse caso, os cortes com produtos ou serviços devem ter um percentual maior do que outras áreas mais importantes, como a saúde dos colaboradores. 

 

Terceirizar a alimentação pode reduzir custos em até 30%

 

Uma maneira eficiente de minimizar os custos é terceirizar a alimentação dos colaboradores, com empresas prestadoras de serviços. Essa prática pode ser aplicada tanto em momentos de crise, como em épocas de economia estabilizada.

 

Terceirizar é otimizar a produtividade. O setor de RH, por exemplo, ganha mais tempo, pois deixa de lidar com questões burocráticas que envolvem a alimentação, como a gestão de profissionais e processos envolvidos na cozinha. O departamento de Compras também tem seu tempo otimizado, pois deixa de comprar insumos voltados ao restaurante interno.

 

Além dos benefícios para os setores de RH e de Compras, a terceirização traz ganhos financeiros para a empresa. “Nesse momento de pandemia, registramos casos em que é possível diminuir até 30% dos gastos de uma empresa com alimentação. Isso é muito significativo para qualquer organização. Conseguimos chegar nesse resultado fazendo uma análise profunda dos números da empresa e verificando todas as informações necessárias para elaborar uma proposta de acordo com a realidade de cada marca”, explica Lasek. 

 

Express serve mais de 800 mil refeições por mês

 

Referência no segmento de restaurantes empresariais, a Express Restaurantes Empresariais engloba unidades em todos Estados da região Sul do Brasil: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Ao todo, cerca de 110 restaurantes são atendidos pela empresa.

 

Além de almoço e janta, a Express oferece café da manhã, coffee break e lanches dentro das possibilidades de serviços adicionais. Os empreendimentos que já são clientes da marca podem incluir esses benefícios no pacote e personalizar ainda mais a alimentação de seus colaboradores. Mensalmente, a Express serve mais de 800 mil refeições.

 

A relação da Express com os fornecedores é um dos destaques da marca. Por ter uma vasta experiência no mercado, a empresa tem um alto poder de compra e consegue boas negociações com outras empresas. Isso resulta em uma redução de custos para os clientes.

 

Quer conhecer as opções de cardápio da Express? Entre em contato e veja como os custos com alimentação na sua empresa podem ser reduzidos. (https://www.express.srv.br/index.php/contato).