Novembro Azul: 5 ideias para aplicar na sua empresa

04/11/2020

A falta de informação e o preconceito intimidam muitos homens na hora de se prevenir

 

Quando diagnosticado cedo, o câncer de próstata pode ter até 90% de chance de cura. A prevenção, portanto, é de longe o melhor remédio na luta contra a doença. Para chamar a atenção para esse importante tema, anualmente ocorre a campanha Novembro Azul em todo o mundo durante o penúltimo mês do ano.

 

Conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), cerca de 65,8 mil casos de câncer de próstata são diagnosticados a cada ano no Brasil. A mortalidade no país é superior a 15 mil pessoas anualmente. Infelizmente, mesmo assim há uma grande resistência a consultas urológicas.

 

Estima-se que apenas metade dos brasileiros em idade para fazer o exame de toque já foi a um urologista. O dado acende um alerta especialmente porque, mais do que qualquer outro tipo, esse câncer é considerado da terceira idade, já que cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.

 

 

Além da idade, o que aumenta o risco do câncer de próstata?

 

A idade é um fator de risco importante, uma vez que tanto a incidência quanto a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos. Mas existem também outros fatores que devem ser levados em conta, informa o Inca. Confira quais são:

- Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários), quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.

- Excesso de gordura corporal aumenta o risco de câncer de próstata avançado.

- Exposições a aminas aromáticas (comuns nas indústrias química, mecânica e de transformação de alumínio), arsênio (usado como conservante de madeira e como agrotóxico), produtos de petróleo, motor de escape de veículo, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPA), fuligem e dioxinas estão associadas ao câncer de próstata.

 

Sintomas, diagnóstico e tratamento

 

Em sua fase inicial, o câncer da próstata tem evolução silenciosa. Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma. Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal. Confira o diagnóstico e o tratamento para essa condição:

 

Detecção precoce – Além dos exames de rotina, que devem ser realizados especialmente após os 50 anos, o diagnóstico precoce desse tipo de câncer deve ser buscado com a investigação de sinais e sintomas como: dificuldade de urinar, diminuição do jato de urina, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite e sangue na urina. Na maior parte das vezes, esses sintomas não são causados por câncer, mas é importante que eles sejam investigados por um médico para precaução.

 

Diagnóstico - O câncer da próstata pode ser inicialmente identificado com a combinação de dois exames:

* Dosagem de PSA: exame de sangue que avalia a quantidade do antígeno prostático específico;

* Toque retal: como a glândula fica em frente ao reto, o exame permite ao médico apalpar a próstata e perceber se há nódulos (caroços) ou tecidos endurecidos (possível estágio inicial da doença). É rápido e indolor, mas mesmo assim alguns homens têm enorme resistência em realizar o exame.

 

A biópsia é o único procedimento capaz de confirmar o câncer. A retirada de amostras de tecido da glândula para análise é feita com auxílio da ultrassonografia. Pode haver desconforto e presença de sangue na urina ou no sêmen nos dias seguintes ao procedimento, e há risco de infecção, o que é resolvido com o uso de antibióticos. Outros exames de imagem também podem ser solicitados, como tomografia computadorizada, ressonância magnética e cintilografia óssea (para verificar se os ossos foram atingidos).

 

Tratamento - Para doença localizada, ou seja, que só atingiu a próstata e não se espalhou para outros órgãos, é oferecido cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em algumas situações especiais). Para doença localmente avançada, radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizados. Para doença metastática (quando o tumor já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento mais utilizado é a terapia hormonal. A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após médico e paciente discutirem os riscos e benefícios de cada um.

 

Ideias para Novembro Azul nas empresas

 

A falta de informação e o preconceito são as grandes barreiras que intimidam muitos homens na hora de se prevenir. Por esse motivo, é dever das empresas responsáveis desenvolver atividades que busquem a conscientização para a saúde masculina. Abaixo, confira cinco ideias de ações da campanha do Novembro Azul nas empresas:

 

1. Promova palestra com um especialista

 Uma das formas mais eficientes de conscientizar os homens para a importância da prevenção é acionar alguém que realmente domine o assunto. Convoque um médico urologista ou um especialista em problemas de próstata para palestrar na empresa.

 

Outra ideia interessante é chamar um homem que já tenha vencido o câncer de próstata para contar a sua história. Ao escutar pessoas que vivenciam ou vivenciaram essa doença, a conscientização e o engajamento é maior.

 

Essa alternativa pode ser realizada até mesmo nas empresas que adotam o home office em parte dos seus setores. A palestra pode ser transmitida de forma online para os colaboradores que não estão na organização.

 

 2. Arrecade chapéus e bonés 

 No Outubro Rosa, é muito comum encontrarmos campanhas que estimulem a doação de lenços para mulheres que estejam tratando o câncer de mama. A iniciativa é importante, pois a quimioterapia causa queda de cabelo.

 

No Novembro Azul, portanto, nada mais justo que uma mobilização para arrecadar acessórios para os homens, como chapéus, bonés e bandanas. Ao contrário do que muita gente imagina, os homens também têm perda de autoestima em função da queda dos cabelos, então a iniciativa é solidária e bem-vinda.

 

3. Elabore um material informativo personalizado 

Elabore e distribua aos colaboradores um material informativo com informações básicas sobre o câncer de próstata. O conteúdo pode ser desenvolvido em um estilo cartilha, com layout bem didático.

 

Se o material não puder ser impresso, ele pode ser enviado digitalmente para os colaboradores. Mas se possível, realize a entrega física do conteúdo. Dessa forma, o informativo pode ser levado para o pai, para o avô, para o vizinho dos funcionários. Muitas pessoas com mais idade não têm tanta familiaridade com conteúdos digitais.

 

Nesse informativo, vale personalizar a informação para o seu público: divulgue quais são os laboratórios e clínicas da sua cidade que realizam o exame de toque retal e PSA. Se sua empresa conta com plano de saúde, busque informações sobre isso e explique o passo a passo da prevenção.

 

4. Coloque o azul em evidência na sua empresa 

Trazer a cor da campanha para elementos básicos da empresa é uma boa forma de manter o movimento em evidência. A iluminação externa, por exemplo, pode ganhar toques azuis. O logo da empresa em redes sociais, site e demais conteúdos pode receber o laço que é símbolo da campanha.

 

No ambiente de trabalho também é possível dar espaço a elementos com a cor azul. Cartazes, balões, fitas, garrafas de água e wallpaper dos computadores são exemplos de itens que potencializam a decoração temática.

 

A empresa também pode oferecer uma camiseta azul personalizada da marca a todos os funcionários. Dessa forma, os colaboradores lembrarão da campanha em vários dias do mês e podem engajar até mesmo familiares e amigos de fora da empresa.

 

Outra forma simples de colocar o azul em evidência é a distribuição de laços azuis para serem colocados nas roupas. O gesto, apesar de pequeno, lembra toda equipe diariamente o motivo da entrega dessa lembrancinha.

 

5. Entre na onda do MOVEMBER 

O Novembro Azul surgiu na Austrália, em 2003, quando um grupo de amigos decidiu deixar o bigode crescer para chamar a atenção dos colegas sobre a saúde do homem, em especial o câncer de próstata. Eles também queriam incentivar a arrecadação de fundos destinados a esse fim. Por esse motivo, a iniciativa ganhou o nome de Movember (palavra que consiste na junção de moustache - bigode em inglês - com November - Novembro em inglês).

 

Nas empresas, é possível aderir à campanha combinando com os homens para deixarem o bigode crescer por um tempinho do mês de Novembro. Também é válido organizar uma atividade para brincar com bigodes postiços no ambiente de trabalho e divulgar o momento em fotos nas redes sociais da companhia. O encontro pode contar ainda com a apresentação de um material sobre o tema, com sinais e sintomas da doença, além de formas de prevenção e tratamento.

 

Atividades podem abranger serviços de alimentação

Durante os encontros e atividades do Novembro Azul, é válido oferecer aos funcionários e convidados algumas opções de lanches e bebidas. Esse detalhe traz mais leveza e descontração às ações, o que acaba resultando em um engajamento maior.

 

O setor de Recursos Humanos (RH) e os gestores não precisam, necessariamente, se preocupar com isso. Alguns empreendimentos da área de alimentação já abrangem esse diferencial.

 

 A Express, empresa especializada na implantação e administração de restaurantes empresariais, oferece café da manhã, coffee break e lanches dentro das possibilidades de serviços adicionais. Quem é cliente da marca, portanto, pode incluir esses benefícios no seu pacote e personalizar a alimentação de seus colaboradores da forma que achar mais interessante.